Atualize seu navegador!
Notícias

São Bento sedia Encontro Regional das APAEs

Evento contribuiu para fortalecer os trabalhos desenvolvidos nas entidades

A Escola Girassol sediou o Encontro das APAEs da Região Nordeste de Santa Catarina. O evento, realizado ontem, contou com a presença de representantes de 11 municípios catarinenses ligados ao setor, para trocas de experiências e fortalecimento do trabalho das instituições.

Estiveram presentes profissionais de Campo Alegre, Rio Negrinho, Joinville, Jaraguá do Sul, Barra Velha, Barra do Sul, Garuva, Itapoá, Araquari, São Francisco do Sul e, claro, São Bento do Sul.

Segundo a pedagoga Heloisa Walter de Oliveira, coordenadora regional das APAEs, os encontros ocorrem quatro vezes por ano, com o objetivo de reunir e capacitar os gestores. “Cada evento que acontece é uma oportunidade de crescimento e de integração entre os membros de todas as APAEs, além de ser um momento propício para discutir temas relacionados à educação dos nossos alunos”, afirmou.

Para a diretora da entidade, Goreti Ehlke, encontros dessa categoria permitem evidenciar os trabalhos realizados e os projetos em vista. “É o momento em que os pares se encontram em busca do crescimento dos próprios profissionais e das APAEs”, declarou. Goreti ainda destacou a grandiosidade dos trabalhos realizados pelas entidades do Estado e a busca contínua pela qualidade de ensino.

Com intenção de abordar vários t4emas em um dia, após a cerimônia de abertura, presidentes, diretores e coordenadores ficaram responsáveis por guiar grupos de áreas específicas da educação. As coordenadorias foram divididas bis seguintes segmentos: prevenção, pedagógico, assistência social, educação física, mercado de trabalho, artes, autodefensoria e equipe técnica.

Comunicação Alternativa

Durante o evento, a diretora também aproveitou para mostrar o programa Comunicação Alternativa, que vem sendo desenvolvido pela APAE de São Bento do Sul desde 2011 e que foi tema de um congresso brasileiro na cidade de Campinas.

Goreti explicou que há formas alternativas a fala, por exemplo, ferramentas como tablets e um simples papel e caneta. “Ao longo do nosso projeto, descobrimos que a função não se aplica somente ao fonoaudiólogo. Trata-se de um desafio que envolve todos os profissionais e a criatividade do professor”, comentou.

A inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho foi outro assunto que entrou em Paula e foi evidenciado pela diretora da APAE da cidade. Ela realçou a necessidade de preparar os alunos para as oportunidades.


Fonte: Jornal a Gazeta, 11 de julho de 2015.